Bruno Carnide (16 de junho de 1987), natural de Leiria, mostrou, desde cedo, que o seu percurso artístico e profissional seria o da 7.ª Arte, sendo que, ainda bastante jovem, foi impulsionador e organizador de vários eventos culturais, e é actualmente Director do LeiriaFilmFest – Festival Internacional de Curtas-Metragens. Licenciado em Som e Imagem, pela Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha, o realizador conta já com vários prémios a nível nacional e internacional e exibições em dezenas de países.

João Pires - Porque é que preferes filmar em película super8? 
Bruno Carnide – Acaba por ser uma opção estética e que se enquadra melhor no tipo de história que quero contar. A maior parte dos meus filmes são filmados digitalmente, mas aqueles em que opto pelo super8, acabam por ser histórias que remetem mais para uma memória passada, e as memórias costumam ser turvas e não muito nítidas. E neste contexto, penso que o ruído e o grão do super8 encaixam na perfeição nesse tipo de histórias. 
 JP - O facto de só teres até agora realizado curtas-metragens, tem a ver com uma opção tua ou trata-se de uma questão puramente económica? 
BC – É um pouco dos dois. Por um lado todas a histórias em que tenho elaborado, resultam melhor no formato curta, por outro, talvez ainda não tenha pensado em nenhuma história para formato longo, porque sei que a nível económico torna-se difícil realizá-la. 
 JP - Nos teus filmes, valorizas mais a imagem ou a história? Ou uma coisa vale tanto como a outra? 
BC – Penso que se complementam. Um filme não será bom apenas pela história, nem será bom apenas pela imagem. Tem de haver um equilíbrio não só entre a história e a imagem, mas também numa serie de outros factores. 
 JP - Na tua mais recente curta-metragem “Manuel”, na qual o personagem (o Sr. Manuel), conta a sua história de vida; tentas dar uma visão mais real e humana às tuas películas? Digo isto porque alternas a narrativa com imagens lindíssimas de S. Tomé. Tentas aproximar a beleza da vida simples das gentes, à beleza natural daquilo que as rodeia? 
BC – O facto de se tratar de um documentário, carece muito mais de realismo e autenticidade de que uma ficção. Ao conhecermos o Sr. Manuel, e para conseguirmos perceber exactamente o que nos conta, torna-se importante mostrar ao espectador o contexto social onde se encontra o personagem. 
 
JP - Pela terceira vez estás a organizar o LeiriaFilmFest – Festival Internacional de Curtas-metragens de Leiria, que se realiza nos dias 18 e 19 de Março no Teatro Miguel Franco. Queres contar-nos alguma coisa acerca disso? 
BC – Quero deixar o convite a todos a estarem presentes no festival. Será uma oportunidade única de ver boas curtas-metragens, que possivelmente não terão oportunidade de ver de outra maneira. Por isso apareçam, a entrada é gratuita, e haverá muitas novidades. 


capaJulho.jpg

A edição em linha do Jornal das Cortes é actualizada a partir do dia 15 de cada mês.

 

Assine já o Jornal das Cortes ao clicar AQUI!

NÃO FALTE!

fONTES2017.jpg

Agenda de eventos

July 2017
Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
FARMACIACASTELAweb.jpg