“Serão Literário: Inteligência Artificial e Crianças” foi o tema do serão literário das Cortes, de 9 de Fevereiro.

 Esta sessão contou com a presença de Tânia Marques, a mais recente mais valia da equipa dos nossos Serões, do alto da sua já basta experiência pelo mundo fora – e parece que também arredores – munida de um robotzinho miniatura lá nos descansou quanto à hipótese, para já longínqua, de as máquinas inteligentes dominarem o Homem, pelo menos enquanto não forem suficientemente inteligentes para se ligarem à tomada eléctrica afim de recarregarem as pilhas. Por outro lado deixou-nos muito menos descansados quanto aos malefícios que possa ter na educação das crianças usar o mesmo processo simplista, o único possível, que se usa no “ensino” das inteligências artificias. As tais inteligências não o são tanto quanto isso. 

Depois seguiu-se a conversa animada sobre o tema, sendo trazido à mesa o excelente livro de Fernando Namora, Diálogo em Setembro, onde o autor, participante de um simpósio em Genebra, na de sessenta do XX, relata a reflexão que no mesmo houve sobre o já então receio de a máquina inteligente superar o Homem. Parabéns, e muitos, à Tânia Marques.
O próximo serão, a 9 de Março de 2019, pelas 21 e 30 na Casa Museu João Soares, vai tratar da “Sugestão, hipnose e algumas aldrabices”, tema proposto por Carlos Lopes Pires, que o vai explanar. Preparem-se.