O decréscimo de espaço e tempo de jogo e actividades livres na infância tem consequências inevitáveis no aumento de sedentarismo das nossas crianças. Sem esquecer a sua associação a patologias, como o aumento de obesidade, stress e doenças cardiovasculares.

Um empobrecimento do reportório motor e dificuldades de adaptação a novas situações, são provavelmente o resultado de uma diminuição de estimulação ocasional (experiências informais em actividade física e relacionamento social). Está em causa uma diminuição trágica de estimulação lúdica e motora em situações informais nas culturas de infância nos nossos dias.
A inactividade física e a falta de contacto com amigos e relação com a natureza, aumentaram significativamente, colocando em perigo a estruturação da motricidade infantil fundamental num mundo moderno cheio de novos desafios e incertezas.
Os constrangimentos exercidos pelas diferentes agendas, quer dos pais – que empurra as crianças para dias inteiros fechados em escolas e instituições de ocupação de tempos livres que asseguram o transporte para a escola, o almoço e actividades de complemento; quer das próprias crianças – sobrecarregando os pais que no fim do seu dia de trabalho e ao fim de semana se deslocam com as suas crianças às diferentes instituições onde lhes é facultado o acesso às actividades de complemento desportivo e cultural, limitam grandemente as oportunidades de jogo livre e brincadeiras espontâneas das crianças deste século XXI.
Desta forma, importa compreender qual o papel do jogo, da actividade física e do lazer na vida quotidiana das nossas crianças a fim de estabelecer políticas de intervenção e articulação entre a família, a escola e o trabalho dos pais. O encorajamento familiar e o envolvimento dos pais em actividades físicas revigorantes têm sido considerados cruciais no envolvimento dos seus filhos, assim como as atitudes positivas dos pais perante o envolvimento dos filhos em actividades físicas.
Cabe igualmente à escola, nesta fase de desenvolvimento da infância, promover vivências de caráter lúdico, numa atitude e ambiente pedagógico de exploração e descoberta de novas possibilidades de ser e agir perante problemas e desafios do dia-a-dia.