Na antiguidade os gregos compararam o tempo com uma linha reta que, partindo de um determinado ponto, progride em direção ao desconhecido. Esta evolução, com altos e baixos, acarreta consigo a imprevisibilidade do dia de amanhã. Assim o medo, a desconfiança e a dúvida acompanham a evolução. Outras leituras posteriores, preferiram falar de uma cíclica em vez de uma linha reta. Neste caso, a evolução transformar-se-ia num eterno retorno. A vida seria uma permanente repetição de factos, momentos e experiências que se reproduziriam de forma cíclica. Todos os anos o Verão se repetia e suceder-lhe-ia o Outono, o Inverno e a Primavera.

Nesta conceção a vida não precisaria de muitas preocupações ou iniciativas, pois estaria condenada a um eterno regresso às origens. A dúvida e o medo dão lugar à inatividade e ao desinteresse.

À entrada do hospital de Santarém já está uma escultura que retrata uma visão atual da nossa conceção sobre a vida. Segundo esta escultura a vida faz-se de forma crescente, numa linha que não sendo recta, também não cíclica, mas é curvada num crescendo de intensidade e de dinamismo para depois, a dado momento e de forma brusca, cair em direcção ao solo, mas já num ponto diferente do inicial. Segundo esta conceção a vida tem fases distintas e em cada uma dessas fases há realidades próprias que devem ser vividas e assumidas de forma intensa. O desinteresse dá então lugar à expetativa pela novidade própria de cada fase e à preparação para a sua vivência.

Seja entendida como for, a vida traz consigo dinamismos e curiosidades que requerem da nossa parte atitudes próprias e concretas. Seja uma linha reta, uma círculo ou uma curvilínea, a vida passa por nós e para ser o que é – vida – requer da parte de quem por ela passa uma atitude de empenho e entrega. Só vive afinal, quem se dispõe a viver a vida, não numa atitude de passividade ou expetativa mas numa atitude empreendedora e construtiva. Dito de outro modo: talvez a vida nem exista; constrói-se momento a momento, segundo a segundo, passo a passo. A vida vai-se fazendo em cada escolha, em cada opção, em cada decisão.

No início de um novo ano, esta mensagem de esperança de dinamismo e de otimismo, parece ser do maior interesse para todos. Importa começar “de cabeça bem levantada”, ou seja, com fé e confiança porque o dia de amanhã será certamente melhor do que o de hoje – se eu fizer por isso.

Bom ano.


Capa-Julho.jpg

Agenda de eventos

July 2019
Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
16
17
18
23
24
25
30
31

Assine o Jornal das Cortes AQUI!

Por apenas 15€ por mês (nacional) ou 25€ (estrangeiro)

geometriadomovelweb.jpg