Verão chega ao fim temos o início do outono (trás aulas). Suave o tempo vai-nos preparando para o outono. É um ciclo que se vem repetindo ao longo dos tempos, embora conhecido, é sempre um tempo novo que nos convida a uma meditação sobre a regeneração da vida como preparação para uma nova etapa. A natureza desnuda-se num convite à preparação de uma nova jornada, que após os longos dias soalheiros de verão e às noites quentes de convívio entre amigos, nos prepara e reestabelece de forças para mais um ano, na esperança de podermos saborear as noites longas junto à lareira mas certamente sempre a pensarmos no próximo verão. Com o fim das férias temos o início de mais um ano de trabalho. Muitos de nós e outros que estão próximos de nós, regressam às diversas partes do mundo mais longínquo, com promessas de um retorno e com o coração cheio de uma convivência com os seus, mas ao mesmo tempo com a saudade da partida e a promessa de um regresso no próximo ano. É um tempo cheio de sentimentos contraditórios. 

A vontade de ficar e continuar a usufruir de um tempo agradável, um “non fare niente”, conjugada com a obrigação de voltar aos seus compromissos sociais e laborais. Até para os mais novos é um novo tempo. Ir para a escola. Esta não é já uma novidade, porque desde muito novos que foram inseridos no sistema de ensino, mas é sempre um novo desafio para uma nova etapa, um tempo complexo, que é necessário vencer e ultrapassar a fim de se conseguir subir mais um degrau nesta caminhada de formação, capacitando-nos para a responsabilidade de sabermos trabalhar um futuro melhor.

O padre Rui sai, regressa o padre Augusto. A nossa paróquia vê sair o seu grande timoneiro de quase uma quinzena de anos. Reconheço a sua grande capacidade na dinamização religiosa a cultural da nossa freguesia, com uma aproximação muito grande à juventude sem nunca esquecer ou descurar a interação com todas as pessoas. De forma informal, mas com um grande sentimento e proximidade para todos e um sentido colaborativo com o universo das associações, sempre esteve presente pronto a dar o seu melhor.

Conhecendo um pouco do padre Augusto, o novo pároco das Cortes, certamente com o seu modo de trabalhar e interagir com os paroquianos diferente, não deixará de surpreender pela jovialidade, pela sua capacidade de escutar e estar próximos das pessoas nos momentos que estas precisarem da sua ajuda. Ao primeiro, padre Rui Acácio, que será certamente sempre um amigo das Cortes, quero manifestar-lhe o meu reconhecimento pela sua generosidade e disponibilidade às Cortes, na sua cultura e na sua religiosidade.

Ao segundo, Padre Augusto, os votos de uma frutífera missão ao serviço desta sua nova paróquia. As Cortes.


Sem imagens

Agenda de eventos

June 2019
Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Assine o Jornal das Cortes AQUI!

Por apenas 15€ por mês (nacional) ou 25€ (estrangeiro)

manetaWEB.jpg