carmo belidade

Há quem diga que é um pouco bruta, é. 

Mas é também uma das caras mais simpáticas e
brincalhonas que serve atrás de um balcão na freguesia.

Com muitos anos de trabalho com químicos, instalou-se no Centro das Cortes onde
provavelmente estará nos próximos anos.

"Uma labuta" todos os dias. A toda a hora. Sem a qual provavelmente já não vive.

“A Abóbora do Centro” é como todos lhe chamam na freguesia. Habituados a ver esta cara atrás do balcão do café cortesense, a entrar em brincadeiras e a gritar quando o clube de futebol vermelho marca, muitos são os que ainda não conhecem a história que está por detrás desta mulher. Uma mulher “bruta”, que sempre “trabalhou à homem”, mas a quem não falta um sorriso.

Maria do Carmo da Costa Marcelino Carreira vive na Abadia, onde nasceu a 10 de Novembro de 1963. Filha de Francisco Marcelino, da Abadia, um “homem alto que andava sempre de bengala”, que faleceu muito cedo, e de Maria da Vitória Costa, das Fontes, “que andava sempre a cantar ea brincar com os filhos”. É a irmã do meio dos 13 irmãos: são nove rapazes e quatro raparigas. Uma família muito grande com a alcunha Abóbora, graças à avó. “Uma festa!”.


Leia este perfil completo na edição em papel do JORNAL DAS CORTES n.º334, de Outubro de 2015.


 


Capa_julho.jpg

Agenda de eventos

Assine o Jornal das Cortes AQUI!

Por apenas 15€ por mês (nacional) ou 25€ (estrangeiro)

mobilWEB.jpg