rostos rui

Licenciado em Comunicação e Média, foi na Zumba

que viu uma nova forma de mudar de vida.

Agora ajuda novos e idosos a fazerem exercício e a

esquecerem os problemas de rotina, adoptando um

estilo de vida mais saudável.

 

«Não é tão difícil como parece, o importante é encontrar uma actividade que se goste e dê prazer, isso é meio caminho andado para o sucesso dos objectivos». Foi esta convicção de vida que empurrou Rui Filipe Soares Cordeiro para a dança e o ajudou a perder mais de trinta quilos durante um ano. O jovem do «Canto das Cortes», nascido a 6 de Setembro de 1992, filho de Guilhermino Cordeiro e de Maria Cristina Soares Cordeiro, sempre se habituou a viver com excesso de peso mas, há cerca de três anos, mudou de vida. A consciência de que comia «demasiados hidratos de carbono» e tinha uma «vida muito sedentária» foi o alerta para o facto de que algo não estava bem. Ser apaixonado por música e dança facilitou a escolha da modalidade Zumba, que junta aos vários estilos de dança latina a ginástica, que começou a praticar duas vezes por semana. Começou a sentir-se «melhor» e «mais motivado» e daí até ao início de uma alimentação mais saudável foi um pequeno pulo. «Aconselharam-me a ler o livro Dieta Dos 31 Dias de Ágata Roquette, mas sempre achei que não ia resultar, que era só mais uma forma de fazer dinheiro», recorda a rir. Mas resultou! Começou por cortar nos hidratos de carbono, como pão, massas e arroz, depois fez opções alimentares mais correctas e aprendeu a importância e a qualidade nutricional dos alimentos que fazem parte do dia-a-dia e, ao contrário do que se pudesse pensar, nunca tomou qualquer suplemento alimentar ou comprimido para perder peso.

Perdeu mais de três dezenas de quilos em doze meses e muitos foram os que não o reconheceram na rua, que o felicitaram ou mostraram curiosidade. «Foi uma mudança de regime alimentar, não gosto de lhe chamar dieta porque essa palavra está mal conotada, as pessoas associam a sacrifícios e a algo temporário. Não… eu alterei definitivamente o meu regime alimentar, também faço asneiras às vezes, faz parte, mas tenho noção do que devo e não devo comer, faço muito exercício e sinto-me bem assim», acrescenta. Sente-se naturalmente orgulhoso com a conquista dos objectivos e gosta de ajudar quem lhe pede conselhos e sugestões sobre perda de peso ou a aquisição de modos de vida mais saudáveis. Garante que «não é tão difícil quanto parece» até porque «quando os resultados aparecem as pessoas ficam mais motivadas».

Feliz com «o novo corpo» e com vontade de partilhar o que sabe e dedicar-se ao que mais gosta começou, ao fim de um ano como aluno, a ponderar tornar-se professor de Zumba. Foi incentivado por amigos, familiares e vizinhos do Canto a fazer uma formação da modalidade desportiva uma vez que «diziam que tinha muitas potencialidades», e a quem agradece imenso actualmente. A medo foi fazer a formação intensiva necessária, em Novembro de 2014 no Porto, mas que acabou por «correr muito bem» e onde conheceu pessoas «muito motivadoras». Passou a ser instrutor oficial de Zumba e desde então não tem parado. Dá várias aulas em todos os dias de semana, muitas na freguesia, e sem as quais já não consegue viver. «Sinto falta das aulas. Gosto das aulas. Para mim é muito importante quando as pessoas vêm ter comigo e dizem que sentem a diferença no corpo por causa das aulas, que evoluem e que se sentem bem. Basicamente Zumba é uma forma de se fazer exercício e ginástica sem se aperceber, de uma forma divertida… E é divertido porque nas aulas as pessoas saltam, gritam, cantam e frequentemente comparam isso a uma festa». As aulas que lecciona têm tido muita adesão, até porque «são momentos de exercício físico mas também de descontracção», e vê nas alunas uma motivação extra para continuar a evoluir e a aprender. Mais recentemente começou a trabalhar com uma faixa etária mais avançada, onde incentiva pessoas que fazem pouco exercício ou nenhum a mexerem-se e a saírem de casa. A curto prazo quer fazer a formação de Zumba Gold, «uma Zumba com menos impacto e transições mais lentas», para poder dar aulas a pessoas com limitações físicas, como por exemplo idosos ou deficientes.


capa_marc.jpg

A edição em linha do Jornal das Cortes é actualizada a partir do dia 15 de cada mês.

 

Assine já o Jornal das Cortes ao clicar AQUI!

NÃO FALTE!

PPEBREIXIDA.jpg

Agenda de eventos

March 2017
Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
agenciafunerariaWEB.jpg