É barbeiro há mais de sessenta anos. Aprendeu a profissão com o pai, que servia de cliente nas primeiras vezes.

Confessa que, no inicio, as mãos lhe tremiam quando fazia o que agora quase consegue fazer de olhos fechados. Ainda assim, admite que continua a ser perfeccionista... numa profissão que ameaça morrer.

“Não existem truques para barbear ou cortar o cabelo”, começa por garantir quem faz disso profissão há mais de sessenta anos. 

A arte é a mesma, sem grandes segredos, mas o negócio está cada vez mais diferente. “Agora está tudo a ficar muito mudado, o negócio mudou como da noite para o dia, qualquer pessoa compra uma máquina num supermercado e faz as coisas em casa, para não ter que dar cinco euros, rapam tudo ou então vão às cabeleireiras para fazerem riscos no cabelo e cortes sem jeito nenhum”.

Os clientes são cada vez os mais velhos, “dos quarenta ou cinquenta para cima”, uma vez que os jovens não querem saber de barbearias para nada. Os clientes costumam ser fiéis, até porque “quando gostam voltam”, e vão sempre aparecendo.

Ainda assim, Anacleto do Rosário Carvalho mantém-se fiel ao tradicional, ao “antigamente é que era bom”: gosta da barba bem feita, todos os dias, do cabelo cuidadosamente cortado e de todos os pormenores perfeccionistas que foi aprendendo e apurando ao longo dos anos.

 


Leia esta notícia completa na edição em papel do JORNAL DAS CORTES n.º354, de Junho de 2017.


 


capaJulho.jpg

A edição em linha do Jornal das Cortes é actualizada a partir do dia 15 de cada mês.

 

Assine já o Jornal das Cortes ao clicar AQUI!

NÃO FALTE!

fONTES2017.jpg

Agenda de eventos

August 2017
Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
agenciafunerariaWEB.jpg